Gisela Casimiro

Gisela Casimiro

  • Guiné-Bissau, Portugal

Escritora, artista e activista portuguesa. Publicou Erosão (Urutau, 2018) e fez parte de antologias como Rio das Pérolas (Ipsis Verbis, 2020), Venceremos! Discursos escolhidos de Thomas Sankara (Falas Afrikanas, 2020) e As Penélopes (Bairro dos Livros, 2021). Nos últimos anos assinou
crónicas regulares no Hoje Macau, Buala e Contemporânea. Participou ainda em exposições no Armário, Zé dos Bois, Balcony e Museu Nacional de Etnologia. Dirige o departamento de Cultura do INMUNE – Instituto da Mulher Negra em Portugal.

Comunicação

Poema, protesto, processo
Março de 2020: um homem é detido em Lisboa por colar cartazes alusivos a uma exposição, em vésperas de inauguração da mesma, do Dia Internacional da Mulher e do primeiro confinamento. A curadora da exposição é, também ela, constituída arguida. Um ano decorreria até a autora do poema que ofendeu a polícia ser ouvida, em vésperas do Dia Internacional da Luta contra a Discriminação Racial. O ano de 2020 foi marcado pela pandemia mas também pelo ressurgir do Black Lives Matter em todo o mundo. Portugal não foi indiferente a tal movimento, mas o que significa isso num país onde o racismo não existe? A partir deste caso nacional em que um poema sobre racismo e violência policial é censurado, propõe-se uma reflexão sobre liberdade criativa e de expressão à luz do activismo anti-racista, desde Billie Holiday a Amanda Gorman.

Todas as sessões de Gisela Casimiro

Dia 3 17 Setembro, 2021
17:30H - 19:00H

Sessão de Encerramento

Dia 2 16 Setembro, 2021
19:00H - 20:30H

Vídeo-performance

Quinta-feira
Dia 1 15 Setembro, 2021